Redirect By Betto Adami

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O calcanhar de Aquiles

O meu amigo tinha uma namorada e estava super apaixonado.
O relacionamento parecia caminhar bem até que, por decisão da moça, eles terminaram.
Como todo homem apaixonado ele sofreu... gostava muito dela.
O que foi? Não acredita que homem sofre por amor?

Ah! Que injustiça com os meninos, gente!
Sofrem sim... a diferença é que para as mulheres, esse período dura no mínimo uns seis meses e para eles... 24 horas!

Mas, enfim... depois desse longo período de dor e reflexão, o amigo veio me contar o acontecido. Notei que ele estava meio chateado e fui logo perguntando o que era, foi então que o rapaz disse:

- Aquela vaca-safada-mau caráter-vagabunda, terminou comigo!

Pela alta carga de ódio impregnada nas palavras dele, achei melhor nem perguntar o motivo para não piorar a situação... mudei de assunto e tentei animá-lo.
Sabe como é, né? Algumas cervejas geladas e no final da noite ele nem se lembrava quem era a vaca-safada-mau caráter-vagabunda.

Passaram-se alguns meses e ele encontrou com ela em uma dessas festas bombadas onde tem pessoas interessantes e outras nem tanto.
Segundo ele, cumprimentou a ex friamente e logo saiu para não estender a conversa. No dia seguinte, ele foi me contar sobre o encontro com o seu desafeto:

- Sabe quem eu encontrei na festa ontem? A vaca-safada-mau caráter-vagabunda!

E eu, novamente, me limitei apenas a perguntar se o resto da festa tinha sido boa, o que por sorte, ele respondeu que sim.
Mais uma lição: quando os homens se abalam com alguma situação, é apenas por 60 segundos, depois a festa continua... diferente de nós, que teríamos ido embora, alegando uma forte dor de cabeça.

Passaram-se agora quase três anos e estamos, eu e o meu amigo, almoçando em um dia normal de trabalho, quando em determinado assunto que estava sendo discutido, ele se lembrou de um fato relacionado à ex e depois de contar, arrematou:

- Pois é... aquela vaca-safada-mau caráter-vagabunda!

Dessa vez não agüentei!
Perguntei o que foi que essa criatura tinha feito de tão grave, para que ele usasse o mesmo tom de raiva e o desfile de palavrões, todas as vezes que mencionava a moça... até questionei se ele ainda era apaixonado por ela... eu precisava de um motivo contundente para entender aquela raiva reprimida. E ele, finalmente, falou:

- Claro que não sou mais apaixonado por ela, a minha raiva é por ela ter sido a única que não se apaixonou por mim!

Ah! Tá! Então era esse o calcanhar de Aquiles!!!

A raiva é por perceber que o seu poder de sedução falhou.
Isso é inaceitável para um cara acostumado a tombar corações.
Compreendo... mas tentei explicar para o meu amigo, com toda uma base freudiana e orientações em estudos aprofundados de Nietzsche, que ele precisaria entender a seguinte premissa:

Um dia é do caçador e o outro é da vaca...digo, da caça!

5 comentários:

  1. Ahahahahahahahaha
    Eu devia defender a menina, mas tô achando é graça desse rapaz!
    Adoreeei...ahahaha
    bjokas
    Carolzinha

    ResponderExcluir
  2. LITERALMENTE..., não mandamos no nosso coração!
    ADOREI!
    bjs,
    Lu Coni

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahahaa... a ultima frase foi a cereja do bolo !!! Ameeei..
    bjs

    Patita

    ResponderExcluir
  4. Assim falou Zaratustra;

    bj,Gui.

    ResponderExcluir
  5. Marcus Quintanilha31 de maio de 2010 20:57

    Vou contribuir p/ seu amigo entender: O instinto de amar um objeto demanda a destreza em obtê-lo, e se uma pessoa pensar que não consegue controlar o objeto e se sentir ameaçado por ele, ela age contra ele.

    ResponderExcluir